D'propósito

9 de agosto de 2010

Aniversário!



O tempo não é nada além do vento, ele passa e a gente sente, sim. As marcas são visíveis, ficam na pele e nos textos. O D’propósito que o diga, ao completar hoje três anos colecionando histórias e amadurecendo a cada uma com o livre exercício da escrita e de todo fato, ficção ou pensamento reciclável. Esse sempre foi o propósito do blog, que pela primeira vez em seus três anos, não faz festa de aniversário. Por um motivo simples: as crônicas diárias andam quase quinzenais, quando não mensais. Caiu o ritmo de produção, logo, achei que não tinha nada a ser comemorado. Porque festa sem fanzine, com textos velhos ou novos, não faz sentindo.

O ano passado a festa foi de arromba com direito a casa fechada e show de Roberta Campos e Seis Sextos, esse ano o parabéns é intimista e a comemoração são as palavras para não esquecer.
Eu poderia dizer que o tempo passou rápido demais, mas lendo o arquivo do blog notei como ele [o tempo] caminhou e como o D’propósito teve momentos memoráveis. Me diverti com o que não lembrava, morri de vergonha de algumas passagens e li e reli alguns muitas vezes, admirando minha criatividade em determinados momentos. E tão gostoso quanto relembrar os textos é ler os comentários. Deu saudade, como normalmente o passado faz. Dia de aniversário é também dia de sentir saudade e de alguma forma matá-la.

Aos leitores fiéis que acompanham e me pedem para despejar uma letrinha que for, comemorem comigo! Ao apagar as velas vou desejar que mais textos sejam publicados, ou que eu ganhe mais tempo para escrevê-los, assim como o novo layout que estou planejando para as próximas semanas.

Mas, durante o tempo que dediquei visitando os arquivos percebi como gosto de histórias difíceis. Histórias que eu tenha que desatar o nó, reescrever sempre um novo começo, inventar uma nova história, arrumar um motivo e ter dois para pedir desculpa! Como gosto de histórias que sobem a ladeira e descem de braços abertos, sem apertar o freio e segurar o grito. Histórias que me arrepiem com o vento, com a expectativa, com as perguntas e as respostas. Como gosto de história para escrever, para contar, para transformar. Eu adoro os começos inabaláveis, aliás, eu gosto de histórias em todas as fases, até no seu fim. Quando eu posso contá-la com precisão.

No D’propósito é assim, a história é o amadurecimento guardado nas marcas de expressão transformadas em palavras.

Durante três anos ganhei e perdi leitores. O mais fiel acha que o blog sempre teve um caminho: ele. Tem leitora que gosta quando escrevo sobre sexo, tem leitor que não se manifesta, mas não perde um post. Alguns não perdem porque gostam das palavras, outros acompanham só para saber a próxima fábula. Cada um com seu motivo e o blog com todos continua assim, uma grande mentira sobre toda a verdade do cotidiano.

Pelos três anos, axé, saravá, amém e amem!

D’propósito! Palavra do verbo d’propositar; daqueles que d’propositam diariamente ou não, as crônicas diárias de tudo o que vem depois.

3 comentários:

Fê disse...

sucesso sempre, sua linda.
parabéns e fico feliz por você!!
amo esse lugar :)

Ah, precisamos marcar um dia desses pra botar conversa em dia e beber cerveja, pois agora eu tenho dinheiro.
bjo, Dayan

carolzago disse...

Parabéns atrasado, Camila! Como eu já disse pessoalmente, eu não tenho essa sua coragem. Você não tem medo do julgamento alheio, se mostra como realmente é. Inventa e não tem vergonha de dizer que mentiu. Não inventa e ainda diz: fiz mesmo, e daí? Você é assim, transparente, sincera, amável e querida por muita gente. E ah, sim, sem contar que é super inteligente! Chora; ri, mas ri mesmo, até a barriga doer; sofre de amor, sofre por uma ilusão, odeia com unha e dentes, defende tanto que pega as dores das amigas e vai pra cima mesmo! E como é teimosa!!! Quer sempre ter a razão! É difícil até de acompanhar teus pensamentos, tem pressa! Tem pressa de viver, de sonhar, de amar, de trabalhar, de ri e de chorar. Você é muito mais que tudo isso que escrevi, é uma mulher encantadora com jeitinho de muleca. Amiga do peito. Quero te ter sempre aqui, bem pertinho, para chorar e sofrer com você, e depois dar muita risada disso tudo! Grande beijo, sucesso ao blog!

Flávia Magalhães disse...

Eu, pessoalmente, acho os comments mais genuínos ainda. Há quese ter talento para eles. Assim como pérolas twitter e facebook, né Ca?rsrs