D'propósito

9 de agosto de 2009

A coisa da paternidade

Filho da mãe todo mundo é, ser filho do pai que é o problema. Na verdade é quase um enigma. Certamente pai e mãe todo mundo tem, afinal, somos o projeto da relação entre os seres que às vezes nos fazem sem querer, outras vezes desejam muito e algumas situações há uma confusão de pais. Mães enlouquecidas com a diversidade de homens que disponibilizam-se a maternidade e prende um a paternidade.

Dependendo da escolha ou, de repente, de ter sido escolhido pela mulher, no caso a mãe, o pai leva título de pai. Às vezes de fato não o é, ou pelo menos não foi ele quem o fez. Mas como o povo canta por aí, "Pai é mesmo quem cria.”
E cria mesmo. Recria, põe cria, faz cria e não pia. Assovia. Pai de sangue, pai de criação, pai de consideração, pai ao quadrado, pai entoado, pai valentão, pai amedrontado, pai engraçado, pai, pai, pai pra sempre um homão.

Diferente de mãe que é tudo igual e só muda de endereço, pai é tudo diferente, ainda que resida na mesma morada. Sem as declarações cotidianas de que mãe é uma só; pai também é um só, é único. Desde quando o chama de pai.

__________________________________________________

-Paii....
-Quê?
-Vamos jogar bola?
-Camila, você é menina.
-Eu sei, vamos jogar?
-Então, pra aquecer vamos jogar uma partida de vídeo-game?
-Eita pai, depois reclama que está gordinho. Mas eu fico com o controle 1.





Oficialmente hoje é o aniversário do D'propósito, essa cria sem pai. O ano passado, nesta mesma data, escrevi aqui tudo sobre o meu rebento, lhe dando os parabéns pela existência e contando os detalhes do dia em que eu o pari. Hoje o D'propósito faz vida, dois anos respirando cotidiano e inspirando palavra, poesia, ficção e casos do dia a dia. E mais do que o aniversário de hoje, essa é a postagem número 300 deste blog que adora festejar, e como já anunciei, a comemoração será dia 28/08 como mostra o convite ao lado, ou também, em posts abaixo.
Então, até lá.

Axé, saravá, sorrisos largos e amem.

6 comentários:

Fábio disse...

Ás vezes não sei como meu pai me aguenta, talvez eu descubra se um dia vier a ser pai.
Aproveitando o tema, a tempos atrás eu tinha um pensamento de "repulsa" quando me vinha à cabeça o tema "paternidade", parecia o diabo fugindo da cruz. Um certo dia, talvez pensando em alguns amigos que já são pais, talvez pensando nos pais que mal conheci dos filhos de amigas minhas que conheço a certo tempo ou talvez ter visto os filhos ainda pequenos dessas pessoas e a relação que meus amigos tem com esses pequenos. O fato é que na minha mente veio algo como: Será que eu seria um bom pai, como será que seriam meus filhos?
Então a questão da paternidade parou de me causar medo, lógico que isso não é algo que eu queira que aconteça agora, cedo de mais, mas realmente me aguçou a curiosidade. Ao menos sei que tipo de pai eu não gostaria de ser, pais de amigos e pais de filhos de amigas servem como um belo exemplo de como eu não pretendo ser, resta saber se um dia vou descobrir se realmente não serei como eles, ou quem sabe pior.

Aliás, Camila, acho que estou sendo meio folgado de usar o seu blog pra falar da minha vida né! hehehe
Bom, de qualquer forma, é isso.

C. Dayan: disse...

Imagina, Fábio. Esse espaço não é só meu. Aqui é livre pra todo mundo que quiser D'propositar ;)

Sorrisos largos.

Rics disse...

Blogterapia. É bembão.

, emile disse...

bem vi seu criativo blog, na atrÊ no site da atrê e eu queria perguntar essa festa é a onde?
em que estado?
sou da bahia, bjs adorei tudo aki vous eguir esse blog! bjiinhos.
;)

Renato disse...

Olá Camila! Estudei com vc um tempo na USJT à noite, e a Thaís sempre me fala de seu blog. Sou um leitor a um tempo, mas é a primeira vez que comento.
Parabéns pelo aniversário do blog, crônicas sensacionais!
Bjus

C. Dayan: disse...

Oi Emile,
Apesar da dona do blog ser d'alma baiana, a festa será em São Paulo. Nessa paulicéia desvairada ;)
Obrigada pela visita, fico feliz que que gostou do espaço Ente e fique à vontade, as portas e janelas estão sempre abertas.

Sorrisos largos.